terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Uma canção...


...talvez haja um amor me inventando,
mas tão vago, nem roça 
as beiras da minha praia: concha breve
e encolhida, não vou desenrolar o meu abraço.
Quando achei que era tempo, não era:
talvez este ondular entre ramos
venha de alguma alheia primavera.


Lya Luft

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Possibilidades...


Nós nos inventamos um ao outro 
porque éramos tudo o que precisávamos para continuar vivendo. 
E porque nos inventamos, eu te confiro poder sobre o meu destino 
e você me confere poder sobre o teu destino. 
Você me dá seu futuro, eu te ofereço meu passado. 
Então é assim, somos presente, passado e futuro. 
Tempo infinito num só, esse é o eterno!


C.F.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O que me contém

Tenho os meus medos 
Receio abarcar o mundo de encontro ao peito
Receio, mesmo me tornando extensiva
Não conseguir te alcançar em um abraço...
Receio resumos
Contenções
Incompreensões
Limitações
Não me exceder na vida
Quero guardar e conter o que há de melhor
Abrigar em mim os meus sonhos
Lacrá-los e defende-los
E assim...
Como em um refúgio seguro
Resumir-los em um só 
Para tudo ficar coladinho a mim... sempre!

©Carmem Gomes

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

É sempre assim...



“Eu disse a uma amiga: 
- A vida sempre super exigiu de mim. 
Ela disse: 
- Mas lembre-se de que você também super exige da vida. SIM”.



(Clarice Lispector, no livro “A descoberta do mundo”).

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

De volta!

Apenas chegando devagarzinho...e de mansinho!
Pousando de leve 
Saudade desse cantinho aonde sou sempre eu mesma...
Aqui coloco os meus sonhos e promessas
de uma forma tão sutil, deslumbrante e silenciosa
São as minhas descobertas!
Mas precisava de um tempo 
E esse tempo foi necessário e importante!

É bom estar de volta!!!

sábado, 24 de setembro de 2011

Simples assim

Um dia eu tive um olhar assim a me fitar
sem pedir nada...sem nenhuma cobrança...
amando-me incondicionalmente...
Uma forma de amor sem nenhuma restrição
com o nome de Mike!

©Carmem Gomes

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Os meus silêncios

E se em silêncio respiro o teu olhar
é porque não possuo nenhuma imagem tua à minha cabeceira…
é porque te guardo somente no sépia dos meus sonhos
atravessando marés
de água e de silêncios que a espera me oferece…
é porque são vivos apenas os dias do regresso…
é porque cá dentro do meu coração há rios como auroras a nascer
e risos de cor a morrer ao pôr do sol…
e há orvalho nos olhos onde os melros vêm beber
e beijos saudosos que se alimentam de esperança.

Maria Mamede

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Um amor assim...

"Apaixone-se por alguém que te ame, que te assuma, te compreenda mesmo na loucura.
Apaixone-se por alguém que te ajude, que te guie, que seja teu apoio, teu sonho bom.
Que diga EU TE AMO com atitudes
e não apenas com palavras.
Apaixone-se por alguém que converse depois de uma briga, reconhecendo o erro
e pedindo desculpas com o coração.
Apaixone-se por alguém que sinta sua falta
e precise de você sorrindo."

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Inteira

Quando já não mais poder me domar
quero captar em mim o que me sintetiza
No instante mesmo em que eu começar
nao posso me distrair
não posso olhar para trás
não pode haver indagações...
Estarei apenas me permitindo ao gosto salgado do inesperado...
Na verdade - para que mais que isso?


©Carmem Gomes

Jeito bom de querer

Eu quero esse direito de cair
Mas nem assim conseguir me esconder
Me sentir profunda
Indefinível
Inexplicável
Quero um par de asas
Para nao ter dúvidas
E de todas as minhas incertezas
Quero que jamais eu esqueça de
viver intensamente o meu mistério
vestida em plumas
me atirar tranquila daqui!

Limito-me a querer apenas um par de asas!

©Carmem Gomes

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Eterno!

"Você está indo
e eu não consigo deixar de te ver
como naqueles dias
em que um minuto era pra sempre
a vida grudava na boca
tudo era pouco
a noite era tudo
e o paraíso ficava guardado no bolso de trás do seu jeans."

fernanda mello

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Conversão

De onde vem esse eterno anseio de tornar tudo mais difícil o fácil?
...
É que as vezes agente esquece a proporção de nós mesmas
E tudo sempre insiste em  ficar fora da lógica!
...
Ah... e então Setembro chega
Me visto de luz
Me desencanto
Dissolvo o que me desorganiza
Dissipo minhas dúvidas
 Pouco a pouco tudo o que não se justifica vai se diluindo
E então, invento minha razão em cima das minhas conversões!
...
Setembro é mes de mudar de forma
Metamorfosear!!!


©Carmem Gomes

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Encantamentos

Encanta-me o que está por trás das ilusões
o que nos afigura ser o que não é
o que me leva a dormir e sonhar com o tempo que talvez nem fosse
o que me enfeitiça em seu silêncio quase perene
Infuência dos encantamentos a me pregar peças
razões tentadoras e irresistíveis a prender-me a atenção
me subornando...me deslumbrando de forma imprevisível
Encanta-me o o que não é de todo absoluto
O que me suspende do chão
O que me interrompe temporariamente
que grita em brilhos mesmo que em breves encantamentos
E que se resume em uma descoberta:

No viés da vida
o jeito é sempre inventar os sonhos!


©Carmem Gomes 

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Revelações

Antes que tudo fuja ao meu redor
lanço-me em um vôo rasante
Contida
Serena
Perceptível
A realidade mordendo os calcanhares dos meus sonhos
Sigo revestida por esse querer necessário
Trangredindo-me!
Tudo contém e tudo se diluí sutilmente
 tomando conta de mim mesma
Esse tudo é tão absoluto
Tão necessário...
Selando a esperança contida na ansiedade do novo
 Tudo pela eternidade difusa de um instante
Instantes que podem ser fugazes 
Mas que selam tudo que em mim contém.

Só será necessário reinventar-me o tempo todo!


©Carmem Gomes

domingo, 31 de julho de 2011

Assim seja!

"Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria. Tomara que apesar dos pesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz...''

CFA

Assim..assim!

Ah...mas tudo bem. Em seguida todo mundo se acostuma.
As pessoas esquecem umas das outras com tanta facilidade.
Como é mesmo que minha mãe dizia?
Quem não é visto não é lembrado.
Longe dos olhos, longe do coração...
Pois é...

[CFA]

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O melhor de Mim


O tempo passou tão rápido...
De repente me vejo abrindo albuns de fotografias
em busca apenas daqueles toques macios,
de dedos a querer descobrir o mundo pintando o sete
cheirinhos de infância que faziam do meus dias um arco íris de cores!
Percebo ainda que foi mesmo ontem
essa incrivel leveza entrecortadas de sorrisos...
esse gosto simples de querer crescer!
Hoje ao meu lado...
Duas lindas mulheres, donas de sí e de mim mesma!
E me orgulho muito de ter sido o elo presente
entre essa ponte que liga
a inocência de ver o mundo de uma forma
aos dias reais de duas lindas profissionais...
Parabéns a minha Arquiteta preferida
Parabéns a minha Advogada mais competente.

À Tarcilla
À Thaise

Meus tesouros guardados a sete chaves!

De janeiro à janeiro


Não consigo olhar no fundo dos seus olhos
E enxergar as coisas que me deixam no ar,deixam no ar
As várias fases, estações que me levam com o vento

E o pensamento bem devagar...

Outra vez, eu tive que fugir
Eu tive que correr, pra não me entregar
As loucuras que me levam até você
Me fazem esquecer, que eu não posso chorar

Olhe bem no fundo dos meus olhos
E sinta a emoção que nascerá quando você me olhar
O universo conspira a nosso favor
A conseqüência do destino é o amor, pra sempre vou te amar

Mas talvez, você não entenda
Essa coisa de fazer o mundo acreditar
Que meu amor, não será passageiro

Te amarei de Janeiro á janeiro
Até o mundo acabar

Composição: Roberta Campos

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Divagações

Saudade dessa liberdade fácil
tranquila e sem compromisso
que marcava meus dias em tempos de inocência!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Nossas promessas

Nesse emaranhado de emoções em que vivemos
somos só eu e você
não existe julgamentos toscos
lapidados e nem polidos
somos naturais tal como a natureza produziu
Mas, somos também construção
a cada promessa
a cada gesto
a cada olhar
tudo para reunir e dispor as partes de um todo
 e só assim edificar um viver
cuidando com um carinho sem fim de cada sonho
de cada projeto de vida
apenas para que nunca e nada se perca no emaranhando
 da nossa vida complexa e confusa...

©Carmem Gomes 

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Imprevisível

Tem sido assim...
Posso me encantar com seus pequenos detalhes
Detalhes que me remetem a todos os nossos segredos
Segredos que são trancados à sete chaves
Apenas sentido no plano da uma ausência
Imprevisível e imponderável
Vivendo entre o real e a fantasia
E convicta de que todo sonhar é limitado...
Pois infinito mesmo
é o que fica refletido em nossa alma!
Posso me jogar do meu mais alto espanto
Posso me deixar levar por coisas e tantas coisas acerca do invisível
Posso tudo!
Apenas pelo simples fato de nunca deixar de sonhar...


©Carmem Gomes 

segunda-feira, 4 de abril de 2011

O que me compõe...

Em um tempo de delicadeza...
Serei a mais sólida vontade!
Começa a surgir uma nova metáfora
vertendo um manancial de maravilhas,
que tantas e tão grandes novidades
brotam travestidas de milagres.
E tudo pode ser subentendido...
...percebido no ar e em pensamentos não expressados!
Existe um novo desenho enfatizando a vida,
justificando esse inevitável silêncio.
Recomeçando sempre. Sempre.
Para não me deixar ser trancafiada em uma única fórmula
me reescrevo a cada renascimento
sem os limites das certezas falsas.
Eu...
Liberta da memória lógica que insiste a se projetar
estou a germinar de novo, surgindo de dentro
novamente apaixonada
pro novo...pra vida...
Transbordo em mim mesma num destino de águas contínuas!

 
©Carmem Gomes 

quinta-feira, 31 de março de 2011

Vontade imperfeita...


"Onde menos te encontro é onde tu existe.
Desprendeste-te donde estiveste e é em mim que mais
me acontece tu estares. Mas nem sempre.
Quantos dias se passam sem tu apareceres.
E às vezes penso é bom que assim seja
para eu aprender a estar só.
Mas de outras vezes rompes-me pela vida adentro
e eu quase sufoco da tua presença.
Ouço-te dizer o meu nome e eu corro ao teu encontro
e digo-te vai-te, vai-te embora. Por favor.
E eu sinto-me logo tão infeliz. E digo-te não vás.
Fica. Para sempre.
Há em mim uma luta entre o desejo

de que te esqueça
e o de endoidecer contigo."


Vergílio Ferreira

A verdade de cada um!


Não me interessa saber o que fazes para ganhar a vida. Quero saber o que desejas ardentemente, se ousas sonhar em atender aquilo pelo qual o teu coração anseia. Não me interessa saber a tua idade. Quero saber se arriscarás parecer um tolo por amor, por sonhos, pela aventura de estar vivo. Não me interessa saber que planetas estão em quadratura com a tua lua. Quero saber se tocaste o âmago da tua dor, se as traições da vida te abriram ou se te tornaste murcho e fechado por medo de mais dor! Quero saber se podes suportar a dor, minha ou tua; sem procurar escondê-la, reprimi-la ou narcotizá-la. Quero saber se podes aceitar alegria, minha ou tua, se podes dançar com abandono e deixar que o êxtase te domine até às pontas dos dedos das mãos e dos pés, sem nos dizeres para termos cautela, sermos realistas, ou nos lembrarmos das limitações de sermos humanos. Não me interessa se a história que contas é verdade. Quero saber se consegues desapontar outra pessoa para ser autêntico contigo mesmo, se podes suportar a acusação de traição e não traíres a tua alma.

Quero saber se podes ver beleza mesmo que ela não seja bonita todos os dias, e se podes buscar a origem da tua vida na presença de Deus, quero saber se podes viver com o fracasso, teu e meu e ainda, à margem de um lago, gritar para a lua prateada: Posso! Não me interessa onde moras ou quanto dinheiro tens. Quero saber se podes levantar-te após uma noite de sofrimento e desespero, cansado, ferido até aos ossos, e fazer o que tem de ser feito pelos filhos. Não me interessa saber quem és e como vieste parar aqui. Quero saber se ficarás comigo no meio do incêndio e não te acovardarás. Não me interessa saber onde, o que, ou com quem estudaste. Quero saber o que te sustenta a partir de dentro, quando tudo o mais se desmorona. Quero saber se consegues ficar sozinho contigo mesmo e se, realmente, gostas da companhia que tens nos momentos vazios.

Jean Houston

quarta-feira, 30 de março de 2011

Simples assim!

Boba de amor,
e eu não sei no que você acredita
quando me atrapalho nas palavras
só porque sua presença me intimida

Tenho tanta vontade de viver de novo
fico ansiosa pelo próximo dia, e o próximo
para te ver de novo e reparar seus cabelos crescendo,
tua pele sendo marcada levemente pelos anos
e me apaixono da forma que o tempo passa por você

Eu posso me apegar a outras coisas,
mas você criou um mundo em minha cabeça
e enquanto eu penso qualquer coisa para que te esqueça
o mínimo que me distraio, um deslize só,
posso imaginar sua voz dizendo meu nome e de repente posso me sentir
a pessoa mais amada no mundo
e não porque eu mereça,
mas porque você me escolheu
no teu amor

Cáh Morandi

sábado, 26 de março de 2011

Em êxtase!

Fiquei feliz em poder sentir tua falta, - a falta mostra o quão necessitamos de algo/alguém. É assim o nosso ciclo.
Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz.
Preciso saber que tu está bem, se respira, se comeu ou tomou banho - com o calor que está fazendo neste verão, tome pelo menos uns três ao dia, e pense em mim, estou com calor também.
Me faz bem pensar nessas atividades corriqueiras, que supostamente você está fazendo. Ah, e eu estou te esperando, com meu vestido longo, óculos escuros grandes e meu coração pulsando forte, e te abraçar até sentir o mundo girar apenas para nós.
 É, eu gosto muito de ti.

Caio F.Abreu

sexta-feira, 25 de março de 2011

De janeiro a janeiro

Não consigo olhar no fundo dos seus olhos
E enxergar as coisas que me deixam no ar,deixam no ar
As várias fases, estações que me levam com o vento
E o pensamento bem devagar

Outra vez, eu tive que fugir
Eu tive que correr, pra não me entregar
As loucuras que me levam até você
Me fazem esquecer, que eu não posso chorar

Olhe bem no fundo dos meus olhos
E sinta a emoção que nascerá quando você me olhar
O universo conspira a nosso favor
A conseqüência do destino é o amor, pra sempre vou te amar

Mas talvez, você não entenda
Essa coisa de fazer o mundo acreditar
Que meu amor, não será passageiro
Te amarei de Janeiro a janeiro
Até o mundo acabar

 
Roberta Campos

A Miragem

Ah! Se pudéssemos contar
As voltas que a vida dá
Prá que a gente possa
Encontrar um grande amor...

É como se pudéssemos contar
Todas estrelas do céu
Os grãos de areia desse mar
Ainda assim...

Pobre coração
O dos apaixonados
Que cruzam o deserto
Em busca de um oásis em flor
Arriscando tudo por
Uma miragem
Pois sabem que há uma fonte
Oculta nas areias...

Bem aventurados
Os que dela bebem
Porque para sempre
Serão consolados...

Somente por amor
A gente põe a mão
No fogo da paixão
E deixa se queimar
Somente por amor...

Movemos terra e céus
Rasgando sete véus
Saltamos do abismo
Sem olhar prá trás
Somente por amor
A vida se refaz
E a morte não é mais
Prá nós!...

Marcus Viana

sexta-feira, 11 de março de 2011

Beija eu

Seja eu!
Seja eu!

Deixa que eu seja eu
E aceita
O que seja seu
Então deita e aceita eu...

Molha eu!
Seca eu!

Deixa que eu seja o céu
E receba
O que seja seu
Anoiteça e amanheça eu...

Beija eu!
Beija eu!

Beija eu, me beija
Deixa
O que seja ser...

Então beba e receba
Meu corpo no seu
Corpo eu, no meu corpo
Deixa!
Eu me deixo
Anoiteça e amanheça...


 Marisa Monte / Arnaldo Antunes / Arto Lindsay

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Mistérios

Simples não é
Fácil também não é...
Então porque complicar
Tornar confuso e complexo
O que não pode ser mudado?
Basta respirar calmamente
Tranquila
Serena
Tornar leve esses momentos
costurados entre sonhos e realidades...
Mesmo que sejam imprescindivel vivê-los
faz parte de um aprendizado a guardar
Viver é preciso sempre
E...tudo se torna muito mais do que desejamos explicar!


©Carmem Gomes 

Meu lugar!

Um cantinho aonde vou sempre em busca de mim mesma...
Adoro resgatar minha essência
É apenas um registro da simplicidade
Mas...é um lugar  mágico
E que está alí, ao lado!
Vou lá e volto rápido...me espera!


©Carmem Gomes 

Constância em ser

...Longe divago
entrego-me a devaneios naquele universo
onde espaço não havia
Banho minha alma
isso me acalma...nos une
Alí posso ser livre
solta em versos diversos...
Extensão de mim mesma
mesmo lá fora...
Talvez encontre lá o que não tenha coragem de buscar
ao preço de uma coragem!


©Carmem Gomes 

Sem medos...


Um sossego pela manhã
inspirando desejos
Um pacto de cumplicidade desse silêncio confesso
Arremate de pecado
diante de tanta ternura
Só pra finalizar o que não admite dúvidas
por vezes me pego pensando...sonhando...
Dá uma vontade daquelas
de abrir todas as comportas
e sem medo de transbordar
me torno visível
Transbordo em mim mesma
no mistério infinito em surgir de dentro feito raiz
...firme e forte...
Inteira!
Completa!


©Carmem Gomes 

As novas possibilidades


Reclusão para concluir o que me contém
fechar-me em um lugar seguro, guardar-me
Encerro-me para compreender o que o silêncio me impõe...
Para ser precisa no que me limita
busco um despertar provocante
De repente, sem avisos prévios
só pra sentir o coração bater em descompasso
E assim me sentir viva
E assim mostrar ao mundo o meu olhar...
É tempo de despertar
 Desperta...
quero todas as possibilidades!

©Carmem Gomes

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Difícil de entender

"(...) O meu mundo não é como o dos outros; quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que nem eu mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudades...sei lá de quê!"


Florbela Espanca

sábado, 29 de janeiro de 2011

Acerca do invisível

Disfarço-me nos avesssos de mim mesma
revelando um reverso que se faz oposto à quem observa
E tudo fala...
o máximo múltiplo incomum é o que se pode contar
é o agora, o aqui, nada mais...
Libido à solta em favo e mel
 a ser entregue feito um presente a ser desembrulhado sem pressa...
Nada mais habita a minha geografia a não ser a surpresa do inesperado...
E à medida que me solto, me liberto, me desenraizo
Posso sentir lançando-me pelos caminhos da minha imaginação
atravessando fronteiras e dissolvendo barreiras
Só assim invento minhas diferenças
Minha imaginação voa longe
Tanto posso me encontrar como posso me perder
me reafirmar e me modificar mil vezes
E, não sei de onde vem essa neblina que me confunde...
Mesmo assim, me moldo em fatura única
cerrada, coesa e coerente para com o apelo imprescindível do meu sonhar! 

©Carmem Gomes 

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Sedução

E, nesse ritmo a que me encontro
ainda terei tempo de dançar em algum labirinto da alma
e me deixar seduzir por esse tempo que só murmura
que é só silêncio e pensamentos 
E, como a conduzir tentações
me sinto voraz por breves instantes
disfarçada em mil encantos e mistérios
acesa ao mundo
exposta ao insondável
arriscando-me em abismos
a provocar todos os meus sentidos
Para só assim, selar aos quatro ventos
o quanto é necessário se deixar seduzir
pela simples aventura de viver
no tempo, no sonho!

©Carmem Gomes 

Dia Branco...

Percebo-me distraída
Entretida
Um pouco desatenta talvez
num silêncio calmo que vem da alma
feito Dia Branco de uma canção
("...se você vier pro que der e vier comigo...eu lhe prometo o sol...")
àquele que surge te trazendo todas as promessas
e você curiosa, se deixa embalar por essa onda calma
promessa às avessas que contraria todas as propostas
e todas as nossas cartas de intenções
assim simples e belos...
Esses dias me levam a ficar...a me deixar ficar nesse remanso lento!
Às vezes é importante
Às vezes são as nossas escolhas
Na realidade de tudo sou uma turista vivendo cada experiência
me moldando à cada canção do tempo
Um tempo de liberdade cheia de condições
E quer queira ou não,  Navegar é preciso
Viver também!
Assim me percebo..assim me sinto!

©Carmem Gomes 

Para você minha amiga Amanda Santos, respondendo pela a ausência das palavras!!!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Disfarces

Quem sabia por que?
Das vezes que preciso ficar à margem
à espreita do inusitado
defronte de mistérios guardados, escondidos em incontidos disfarces!
Como entender essa forma de imaginar-se ininterrupta?
Sem vendas
Sem dominios
Sem fronteiras?
Parecendo viver o que fora antevisto sem disfarces
 muitas vezes por uma espécie de percepção..
múltipla de mim e trazida à luz.
Com olhos pra ver quem queira!

©Carmem Gomes 

Metamorfose de mim

Embora em mim permaneça esse estado de serenização
minhas inquietações fervilham intimamente
e se transcorre da vivência do meu cotidiano
coisas minhas, percepções a construir em diferentes planos,
diversas experiências e desejos
compreendidos de uma forma a sempre estar a  procurar o próximo trampolim
sempre pronta pra saltar
sempre pronta pra revelar-me
A surpresa. O inesperado. O alumbramento do encoberto
Do vedado
Sempre a querer o impossivel
trazendo à luz os meus incontidos disfarces
Sempre a metamorfosear-me quando instigantemente provocada!
Nada mais que isso...
são os meus avessos atravessados e múltiplos
desafiando feito um rasgo libertário
próprio de quem não se deixa aprisionar
e se fazem livres em eternos dribles ao senso comum!

©Carmem Gomes

Instantes retidos

Instantes...
o tempo de um voo breve,
um rápido movimento no ar a fazer piruetas
sorvendo devagar o gostinho profundo de sair de mim mesma...
Tudo muito rápido...sem tempo pra permanecer
Bom mesmo seria reter meus vértices em pequenos bocados
construir a minha realidade
articular meus diferentes caminhos em um só
E...numa espécie de serenização de viver
instantes antes tão fugidios mantenha-se fiel a força de um querer marcante
a uma vontade inquietante e que me deixa perplexa
sempre a me testar sem escolhas...

Mais uma vez fico à espera!

©Carmem Gomes

O que lí e Desejo!


Manifesto da Vida Real

Que a Vida Real nos permita o direito de sonhar e saborear delírios, de viver intensamente todos os bons momentos, e que os menos bons sejam como nuvens passageiras.
Que todos possam andar descalços na beira mar com a cabeça no mundo da lua pelo menos uma vez na vida, uma não, muitas, e para os que tem alergia à areia, umas havaianas bem bonitinhas.
Que todos tenham o direito de ter muitoas aventuras pra contar, muitas estradas e sonhos, sol, saúde e sorte...
Que tods experimentem o sabor de uma amizade verdadeira, de um trabalho prazeroso, de uma viagem inesquecível, de milhares de beijos gostosos e de um amor que seja infinito enquanto dure.
Que a Vida Real nos permita um coração de real grandeza habitando nosso peito, uma mete sempre aberta para que nossas escolhas sejam sempre as melhores escolhas, uma alma leve e a espinha ereta, como dizia o poeta!
Que a Vida Real nos ofereça paz e amor e muita luz para iluminar nossa passagem por esse planeta e as muitas viagens que ainda faremos por esse mundo de Meu Deus ou, pelo menos, pelo quintal da nossa casa.

Afinal de contas, todo mundo tem direito a uma vida de rei!

sábado, 8 de janeiro de 2011

É amor, vem...

A sua falta me fez ver
O que de mau a vida pode ter
E a sua volta me dá mais
De todo o mel que eu ousaria querer

Sua presença me faz rir
Nos dias feitos pra chover
Nao há revolta pra sentir
Nem há milagre pra não crer

Vinda que finda
A tinta de pintar tristeza
E deixa os mistérios plenos de sentido
A flor da vida toda

Pétala por pétala
Que um tolo pode colher
Sem saber que é amor
Vem e aumenta em mim
O único que sou
E subtrai do que em mim passou
É amor, vem...


Chico Cesar

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Meu amor

Ainda que eu pintasse o céu com teu nome
Transformasse o mundo num paraíso
Espalhasse a felicidade a todos
E mostrasse o quanto te amo
Sei que não me amarias

Ainda que eu fizesse tudo por ti
Fizesse com que fosse a pessoa mais importante
Chorasse por teu amor
Ainda que eu fosse a única pessoa que te ama de verdade
E que te ama, não pela tua beleza
Mas pela violeta que você carrega na alma
Eu sei que nunca me amaria

Ainda que eu te mostrasse a felicidade
E te fizesse voar pelo lugar mais lindo
Ainda que eu sentisse teu espírito
Que te desse todas as rosas do mundo
Que te fizesse sentir a pessoa mais especial
Que eu morresse por ti
Que eu fosse ao céu ou ao inferno para te ter de novo
Que eu marcasse meu coração com tua imagem
Eu seria apenas mais um para ti.

Ainda que eu mostrasse o quanto sei amar
O quanto posso te fazer feliz
O quanto sofro por ti
Eu morreria sem te ter
E viveria no inferno do paraíso
Onde não estarias ao meu lado.


Pablo Neruda